terça-feira, 5 de outubro de 2010

Tinha um sonho...

...mas não acreditava nele. Quem ousaria sonhar algo tão sublime, algo tão transcendente quanto isso? Quem poderia um dia querer algo dessa magnitude sem ter medo de ser esmagado? Quem poderia imaginar uma vida onde o outro está ligado a você de uma forma totalmente inseparável?

Bastou ela aparecer, então. Apareceu num desses dias que de tão intensos, não se esperava que nada acontecesse; afinal, tudo sempre acontece "numa manhã calma de primavera..."

Surgiu como se surge uma flor exatamente debaixo da sua janela, perspicaz, límpida, delicada e colorida.

Tinha uma flor no meio do meu caminho. E minha vida nunca mais foi a mesma.

Sempre te amo pra sempre, Sâmy.

2 comentários:

  1. "afinal, tudo sempre acontece "numa manhã calma de primavera..."

    comigo são nas tardes quentes de verão!

    Lindo Texto

    :)

    ResponderExcluir
  2. Oun... que lindo...
    e olha que sou chata para romances...
    mas isso aqui que vc escreveu é vida!
    Ah, gostei!
    Linda Sâmy!!! Bem-aventurada!

    ;* Álly

    ResponderExcluir

Olhares estrábicos