sexta-feira, 18 de junho de 2010

Eu tinha uma verdade...

...inteira, alva, loira como o sol, porém agonizante, jogada aos meus pés, à beira da morte.

A outra chegou e me ofereceu um monte de inverdades quentes, reconfortantes, que são antes de tudo nervos, e intestinos, e vida, e coração pulsante, e ser que vive, e inspira, e expira.

E voa.

Não pensei duas vezes.

Fechei os olhos.

E fui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olhares estrábicos